https://www.criarbanner.com.br/criargifs/a/1f588446f6ad0cab9c1cea00b6ec179f.gif

2 de abr de 2012

Sol e Lua, ainda não podemos viver juntos

paulorogeriodamotta.blogspot.com/Divulgação.

Lá fora o vento já sopra mais forte, o Sol aquece menos a terra por onde lança seus raios. As sombras se mostram mais proeminentes, o silêncio se tornou meu companheiro, um amigo das horas solitárias. Você me imagina o mais cortejado, aquele que se posta à beira da estrada, em busca de emoções baratas e inconsequentes. Engano seu amor. O que mais preciso te dizer, para parar com tuas dúvidas. Teus ciúmes de adolescente, mas parecem de uma jovem imatura, que não acredita no amor que balança este pobre coração do poeta. Que se entregou de corpo e alma e necessita de seus carinhos, dos teus afagos, dos desejos que me confessa, na penumbra de nosso quarto, na nossa cama, a tua imagem de mulher madura e bela, onde a beleza se instalou e nunca mais vai embora, fica gravado o tempo todo.

Povoa meus sonhos, abriga-me em teu seio, se ainda mereço, quero sempre estar em teus pensamentos, compartilhar teu destino. Morar contigo na nossa casa dos sonhos. No alto da colina, rodeado pelas rosas que plantou em volta de nossa morada. Passar as noites deitado em teu colo, recebendo teus carinhos e tua proteção. Poder te amar com toda minha paixão, sentir a luxúria de teus beijos, saber que tens em mim teu amado, amante que quer te roubar e te trazer para o meu lado, te fazer minha mulher. Tirar tua negra camisola, te revelar.

Lá fora se ouvem os grilos, entre a grama do quinta, o vento sopra bem mancinho anunciando o frio que chega com a noite quieta. O céu iluminado pela Lua decorado, lança sua luz de prata, algumas nuvens no horizonte, mostram ainda os reflexos do Sol que foi repousar como eu não pode ter a Lua ao seu lado. Como você ainda, não pode viver ao meu.

Vou me recolher mais cedo, amanhã ao raiar do dia, tenho compromissos a cumprir, deixarei o celular ligado, como hoje fiz, quero ouvir tua voz novamente, dizendo que me ama demais, que quer a minha paz o meu amor, que nunca me esquecerá, jamais.

Gerson Araujo Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário