https://www.criarbanner.com.br/criargifs/a/1f588446f6ad0cab9c1cea00b6ec179f.gif

13 de jun de 2013

Ontem foi nosso dia.


Ontem, esperava te ver, só para mim
Deitada ao meu lado, revelando teus pecados
Que ironia tamanha, me achar dono de ti
Exigir que me seja indispensável

Me perdoa amor, se fui deselegante
Posso ser as vezes ignorante, te magoo, te causo mal
Mas é que não suporto tua carência
As vezes minha paciência me trai
Tento ser o mais compreensível possível
Deve ser o enorme desejo que sinto
Uma necessidade enorme de ti

Te peço que compreenda, fui demais infantil
Não merece minhas palavras agora
Vai parecer estranho, vai parecer coisa arrumada
Uma desculpa, esfarrapada
Mais é a única que tenho...

Não me queira mal, te amo como um animal
Por vezes irracional, bruto e imoral
São os desejos que afloram, são luxúrias acumuladas
Aqui, sempre a espera de te ver, bem sei que levamos vida dupla
Amantes secretos, de um amor tão claro, iluminado, radiante
De luz presa, retida e impedida de nos clarear

Me perdoa meu amor
Se é que tenho esta tua clemência
Não devia te deixar assim, sem mensagens, sem carinhos
Me castigue se for o caso, mostre minha penitência
Farei tudo para te ter ao meu lado
Ontem foi o dia dos namorados

Como posso ser tão imbecil
Levarei minha cruz sem pena
Eu quero que nunca me esqueça
Uma vez mais, imploro o amor que é só nosso
Sei que tenho que esperar, tua resposta
Amor! Não quero te perder nunca

Gerson Araujo Almeida

Um comentário: