https://www.criarbanner.com.br/criargifs/a/1f588446f6ad0cab9c1cea00b6ec179f.gif

31 de out de 2012

Um aceno, uma buzina, nosso encontro termina



Do muito que nos conhecemos, sempre teremos a certeza de nossos sentimentos de amor e ternura. Cada gesto seu, mesmo que seja de censura, pela minha conduta que por vezes me deixa longe de ti, achando que não me preocupo mais, que não escrevo como antes, que minhas palavras não são mais as mesmas, sempre vou poder te convencer do contrário. Este amor que nasceu entre nós, que por longo tempo se firmou e raízes foram criadas. Venceu os outonos, as primaveras, resistiu aos verões ensolarados e quentes, como nossos corpos agora, deitados em nossa cama, na alcova dos amantes, neste ninho de amor e pecado. Qual pecado os amantes não cometem em nome de seus amores eternos. Que ato mais puro podemos ter se nos amamos como jovens irresponsáveis carregados da luxúria e emoção, do sexo livre e descompromissados.

A tarde já se deita como nós, cansada e exausta, livre de tensões, não querendo ir, mas logo a noite virá, vou ficar sem você aqui. Dorme minha amada, ainda é cedo para ir, não sentem a tua falta de onde vens, fica comigo mais um pouco, não quero perder o teu calor, a tua paixão, me deixa beijar teus lábios, lábios que percorreram meus caminhos, sedentos e famintos, buscando o sabor e o prazer que provocamos um no outro. Quero mais uma demonstração de teu carinho, me deixa em desalinho, amarrota mais os meus lençóis, me prostra e me cobre me beija e me absorve. Quero sentir cada vez mais tuas mãos em meu corpo, percorre minha geografia, são todos seus meus domínios.

Arranca meus gemidos sussurros quase surdos, que me levam ao delírio quando encontro as estradas que me levam ao teu interior. Coração que bate acelerado mostra a importância que tem e o desejo que ainda o faz sentir quando está ao lado do teu. Quero te guardar que prender, ser seu dono, já sou seu e nada mais me importa, quero te amar sem parar sem pressa, sempre ouvindo:
- Te amo!
Despertas.
-Te amo!
- Te amo mais! Não se vá ainda!
- É preciso meu amor, logo sentirão minha falta, tenho afazeres bem sabe.
- Como queria poder tirar-te de lá, trazer você para viver comigo aqui.
- Sabe que não podemos nos dar ao luxo, no momento é melhor assim.
- Está satisfeita! O que posso mais te dar, além de amor e mais amor.
- Já tenho tudo que preciso, quando estou ao teu lado.
- Sim, já está tarde, logo estarão preocupados, terá que criar mentiras para justificar tua ausência.
- Vá! Tome um banho gostoso, fique desperta, vou tirar o carro lá de trás da garagem, vai estar na ladeira aqui ao lado, rumo ao portão.

Ela se levanta e se dirige ao banheiro, posso olhar seu corpo ainda jovem, sem marcas pelo tempo, seu caminhar lento e lindo aos meus olhos. Antes de entrar no banheiro, se volta e me lança um doce beijo. Só escuto o cair da água que leva seu cansaço seus odores, seus fluídos. Mais uma tarde de amor que termina, finda com a chegada da noite que se anuncia os pássaros recolhendo-se aos seus ninhos, o meu ficará vazio infelizmente, que mal eu fiz para merecer isso.

Mas uma tarde que finda, nosso amor trinfou mais uma vez, poderemos sempre realizar nossas fantasias, nossas ternuras trocar nosso ápice final, sentir, nossa cama sempre se lembrará de ti, sua soberana. Volta quando puder, amanhã ou depois, ou no fim de semana, vou estar sempre aqui a tua espera, as flores na jarra da sala, sempre vão te receber com seu perfume, os pássaros anunciaram a tua chegada, sede sempre bem vinda meu amor. Teu perfume sempre vai pairar na atmosfera deste bangalô.
- Já me vou amor!
- Vai amada, me dá um doce beijo agora.
- Lembra sempre desta que te ama, que vence todas as batalhas e que nunca te esquece.
- Esquecer de ti é impossível, és inesquecível!

A porta se abre com um leve rugido, as dobradiças parecem reclamar tua saída, como que dissessem: - Não vá! Fico a te olhar na varanda, rodeado pelas rosas que plantaste da última vez que estiveste aqui. O ruído do motor do carro, quebra a sutileza do momento, te afasta de mim, rumo ao portão da propriedade, ladeada de árvores que se dobram ao vento como se estivessem a te cumprimentar, acenam respeitosamente, acionei o dispositivo de abertura, não estais mais aqui, logo vejo tua partida na longa curva da estrada. Um aceno uma buzina, aqui nosso encontro termina.

Gerson Araujo Almeida


Um comentário:

  1. Ola poeta Gerson

    Bom, vou lhe contar como cheguei até a voce.
    Foi através de uma decepçao que ate me tirou o sono hoje! Voce ja foi plagiado? Hoje encontrei mais um dos meus textos publicado por aí sem meus creditos. Dessa vez foi no Diario da Joice http://jojoems.spaceblog.com.br/1898429/Paginas-da-Vida-Real/ Foi la que te vi elogiando-a pelo texto "A PAGINA DA VIDA REAL" e dizendo ter postado em seu jornal por ter gostado. Embora ela tenha recebido lá os parabens por um texto que plagiou. Sim, pq mesmo nao tendo assinado embaixo ela se calou diante dos comentarios e isso pra mim tbm é plagio! De qualquer forma quero lhe agradecer pois o texto é de minha autoria, e ninguem poderia adivinhar isso!
    Fico muito triste quando vejo pessoas tomando posse do que nao sao delas. Voce é poeta escritor e sabe bem como a gente se sente, nao é mesmo?!
    Vou deixar aqui o link do meu blog com o post original caso voce queira conferir!

    http://wwwlufatima.blogspot.com.br/2012/04/paginas-da-vida-real.html

    Desculpe a desabafo aqui ok?Eu ja deixei um recadinho la no blog dela pra que retire ou dar os devidos creditos. Acho qu nao enviou mas amnha eu volto la pq se a gente deixar isso vira um circulo vicioso nao é mesmo?

    Quanto ao teu blog é maravilhoso!E esse texto, perfeito! Parabéns por tudo aqui!

    Seguindo!

    Eu volto!

    Beijos!




    ResponderExcluir