https://www.criarbanner.com.br/criargifs/a/1f588446f6ad0cab9c1cea00b6ec179f.gif

28 de mar de 2012

Nossa manhã de amor

animalucemia.blogspot.com/Divulgação.

Batem a porta, quem será tão cedo? Mal raiou o dia, o canto dos pássaros já anuncia o nascer do sol, o galo já contou lá no fundo do quintal, o cacarejar das galinhas atordoa o silencio da noite que se foi. Preciso pegar uns ovos, adoro ovos frescos, quentes ainda, retirados dos ninhos que elas pensavam chocar. Levantar e me vestir, faz um pouco de frio agora pela manhã, aqui no sul é sempre assim, acabou o verão, vem frio logo a castigar o outono e o inverno, até o início da primavera. Adoro frio, bem fiz vindo para cá, ficar ao lado dela, minha amada desejada.

A campanhinha, preciso atender logo, pode ser ela, me disse que teríamos nossos encontros pela manhã, é melhor para ela se deslocar bem cedo, nem podem desconfiar que vem aqui me ver, seria um caos. Não quero prejudicá-la, só quero que tudo se arrume numa boa, nada de desavenças em família. O amor que nunca viveu com esta intensidade e pode viver agora, não me deixa sentir culpado de nada, apenas a quero ao meu lado para sempre.
- Já vou! Me desculpa já vou atender!
Atravesso a sala o mais rápido que posso, já tocou a campanhinha três vezes, cadê a chave, maldita chave, onde a coloquei.
- Amor! Abre logo!
A voz dela vem lá de fora, é ela, minha amada, a mulher que quero como minha companheira, minha amante, a mulher que eu adoro e quero aqui, reinando neste espaço por nós sagrado. Construído por nossas mãos e idealizado por anos. Enfim achei a chave, tenho que por sempre no mesmo lugar é mais fácil de achar. Destranco a porta, abro e uma luz forte invade o espaço, posso ver quem chama, quem me ama com todas as suas forças e calor do amor que sentimos um pelo outro.
- Amor, como demorou a abrir..., me beija me abraça apertado!
- Vem minha querida, sabia que viria, estava ansioso, apenas não pensei que seria tão cedo, é melhor assim, para você?
- Sim amor e melhor para nós dois e tenho compromissos mais tarde, podemos nos ter sem problemas, já desliguei meu celular, quero ser tua agora, me leva para cama, me deita em seu peito, me faz sentir os teus carinhos, me ama como só você sabe me amar.
- Vem amor, Te adoro e quero matar minha saudade.
- Vamos, tire tudo que nos atrapalhe, panos que nos cobrem, escondem nossas virtudes, nossos dorços macios e delicados.
- Sim amor, quero me entregar totalmente a nossa luxúria, ser seu por toda a manhã. Ser o amante desejado por ti.
- Vamos, me leva em seus braços, me faz feliz amor, eu quero..., agora.

Nossa cama ainda desarrumada nos recebe sem cerimônia, já nos teve como hóspedes várias vezes, mas nunca pela manhã, quero sentir novamente esta paixão avassaladora todas as vezes que estiver aqui amor, me mostra tua beleza, tua escultura de mulher, uma deusa do amor envolta de paixão. Minha loucura é você e mais ninguém poderá assumir teu cativo lugar. Quero que o dia não avance mais, que o tempo pare que o vento não sopre por instantes, quero a paz dos amantes, apenas o ranger do estrado, da cabeceira trêmula, do assoalho, vamos rolar pelo tapete da sala, te amar de todas as formas é meu maior prazer. Mulher da minha vida, dona de meu coração.

A paz se instaura, a manhã calma avança devagar, levanto, não quero que ela acorde, dorme como uma criança, calma e profundamente, mulher de meus pecados, de meus doces agrados, da minha paixão consumada. Vou me recompor, um agasalho por, lá fora está frio. No galinheiro os ovos ainda quentes, retiro dos ninhos, vão prepara-los para o nosso café da manhã, tenho certeza que ela saiu cedo de casa e nem se alimentou ainda. Dando a volta na casa, pego uma rosa bem vermelha, vou por no vaso da mesa da sala, coberta com a toalha rendada que ela trouxe da outra vez que esteve aqui. Entro devagar sem barulho produzir. O café é preparado, na cafeteira elétrica, é mais rápido, e bem mais gostoso, nada de saco nem de pano ou papel. Ponho a mesa, duas xícaras o bule reluzente, os biscoitos e os pães que ela trouxe ao passar pela padaria no sopé da colina, a beira da estrada, o vilarejo próximo é bem servido e nos supre de tudo.

Acorda amor, comecemos nosso dia, não tenha pressa, estou aqui a velar teu sono, quando acordar quero te dar um beijo, desejar que nosso sonho se realize e você possa comigo vir de vez morar. A camisola está a tua espera, se envolve nela é de pura seda, comprei especialmente para você, está sobre a cabeceira.

Gerson Araujo Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário